Regra de direitos autorais no YouTube: por que tão criticada?

Com 22 anos e formado em Jornalismo, trabalha como Redator de Conteúdo na Agência IMMA, sendo responsável por todo o conteúdo textual. Em sua bagagem, possui experiência com criação de texto para rádio, jornal impresso e portais online.
02/09/2021
Gestão de Mídias Sociais

Você conhece a regra de direitos autorais no YouTube? Essa é uma das principais regras que regem o trabalho dos influenciadores na plataforma e, ao mesmo tempo, é motivo de muita crítica pelos próprios Youtubers. Isso se deve a uma série de fatos que valorizam o direito do autor, mas descredibiliza o trabalho dos comunicadores no YouTube.

Esse foi um debate levantado pelos Youtubers desde o surgimento da regra e que segue recebendo críticas até hoje, por exemplo. Portanto, acreditamos que seja muito interessante esclarecer melhor sobre como funciona essa regra de direitos autorais no YouTube e por qual motivo ela recebe tantas críticas por parte dos produtores de conteúdo na plataforma.

Regra de direitos autorais no YouTube: por que tão criticada?

Fonte: Pexels

Você assiste o YouTube e quer entender melhor sobre o assunto? Então não perca o conteúdo exclusivo criado pela Agência IMMA para você.

Não se esqueça que nós temos artigos completos e muito interessantes sobre diversas áreas da comunicação no nosso blog.

O que é a regra de direitos autorais no YouTube?

A regra de direitos autorais no YouTube visa garantir o direito do autor de receber uma parte dos lucros de um conteúdo que faça uso do seu produto, por exemplo. Para ajudar na compreensão, podemos citar um vídeo de um Youtuber que conta com 20 segundos da música de um artista.

Dessa forma, o artista em questão recebe a monetização do vídeo para si, já que sua música está sendo usada em um conteúdo monetizado na plataforma.

Agência de Gestão de Mídias Sociais

Para isso, o YouTube usa um mecanismo chamado de Content ID, que são robôs que ficam vistoriando todos os vídeos e verificando a existência de direitos autorais neles. É um mecanismo aparentemente simples, mas extremamente controverso se formos analisar na ótica do Youtuber.

Isso porque, se você leu bem o parágrafo anterior, pôde perceber que escrevemos que “o artista em questão recebe a monetização do vídeo para si“. Ou seja, toda a monetização recebida no vídeo vai para o autor da música, por mais que o vídeo tenha 1 hora e a música tenha sido utilizada em apenas alguns segundos do vídeo.

Benefícios do YouTube para a empresa

Fonte: Pexels

Qual é a solução apresentada pelos Youtubers?

Para os produtores de conteúdo na plataforma, esta regra é extremista demais e totalmente fora da realidade. Mesmo assim, a crítica não é uma espécie de ataque contra os artistas, mas sim contra a flexibilização do YouTube para com os seus próprios criadores.

Até porque, os Youtubers mesmo sugerem uma mudança na regra para que a deixe muito mais justa, tanto para o artista quanto para o criador. Neste caso, eles sugerem que a verba repassada ao artista seja equivalente ao valor do tempo em que a obra foi utilizada.

Qual é a solução apresentada pelos Youtubers?

Fonte: Pexels

Ou seja, se você utilizou um trecho de um documentário durante 20 segundos do seu vídeo de 1 hora, o proprietário daquele documentário teria direito ao valor equivalente a 20 segundos da monetização daquele vídeo em questão. Isso tornaria a regra de direitos autorais no YouTube muito mais igualitária.

Principalmente pelo fato de hoje, muitos Youtubers estarem perdendo verba e tendo que retirar seus vídeos do ar por conta dessas violações apontadas pela plataforma. Estas decisões ainda passam a impressão, para muitos criadores de conteúdo, de que o YouTube está mais preocupado com os artistas e anunciantes do que com a própria base da plataforma: os criadores.

O fim da plataforma já esteve próximo?

Muitos criadores de conteúdo já chegaram a anunciar sua saída da plataforma por conta dessas regras não igualitárias e, alguns, chegaram a falar que o YouTube poderia acabar se não demonstrasse atenção para com seus criadores.

Para se ter uma ideia, a regra de direitos autorais no YouTube chegou a ser extremamente debatida na Europa no que ficou conhecido como “Artigo 13”. Este artigo pretendia defender artistas e garantir o recebimento dos seus direitos autorais.

No entanto, ela ignorava totalmente o “fair use“, que é um consenso global sobre o uso justo, que não visa se promover e nem ganhar dinheiro especialmente com o aparecimento de algo que tenha direitos autorais. Ou seja, você poderia mostrar, em algum momento do vídeo, seu celular sem ser processado pela empresa produtora, por exemplo.

O Artigo 13 no YouTube

Fonte: Youtube.com

No caso, o “Artigo 13” permitia que as empresas processassem todos os canais e plataformas na internet que continham minimamente os direitos autorais delas. Ou seja, as redes sociais estavam em constante risco de serem “bombardeadas” de processos.

Por isso, existia um medo na Europa de que essas redes sociais simplesmente se retirassem do continente e ninguém mais lá teria acessos a elas, principalmente o Youtube.

Na época, a CEO do Youtube, Susan Wojcicki, chegou a ir a público avisar que o YouTube sairia do ar na Europa caso o artigo fosse aprovado no parlamento europeu. Pois bem, passaram-se 2 anos e a decisão não foi para frente, o que assegurou essas plataformas no velho continente.

O fim da plataforma já esteve próximo?

O que é o YouTube?

O YouTube é um site popular que permite aos usuários enviarem vídeos. A empresa foi fundada em 2005 por Chad Hurley, Steve Chen e Jawed Karim. Essa é a plataforma e comunidade de vídeo líder mundial para compartilhamento de vídeos com mais de 800 milhões de visitantes por mês.

Os vídeos são uma ótima maneira de envolver os espectadores e comunicar sua mensagem de uma forma mais envolvente. Para enviar seu vídeo para o YouTube, você precisará de um editor de vídeo que suporte a exportação do vídeo no formato mp4. Caso contrário, você pode usar um conversor online para converter o arquivo antes de enviá-lo para o YouTube.

O YouTube é o segundo site mais visitado do mundo e o segundo maior mecanismo de busca depois do Google devido à sua grande variedade de vídeos e canais disponibilizados.

O que é o YouTube?

Por que o YouTube é tão popular?

O YouTube tem uma audiência global de mais de 1 bilhão de usuários e, todos os dias, as pessoas assistem a centenas de milhões de horas.

O sucesso do YouTube reside em sua capacidade de fornecer conteúdo de mídia social, vídeos e outros materiais online para espectadores que estão famintos por conteúdo de vídeo. O site também foi creditado com o lançamento de novos talentos e carreiras como Zoella e PewDiePie, além de Whindersson Nunes e Felipe Neto no Brasil que, juntos, somam mais de 85 milhões de inscritos.

Desde que o YouTube foi criado em 2005, ele passou por muitas mudanças e crescimento; não podemos prever o que acontecerá a seguir, mas podemos ter certeza de que dependerá de quão bem o YouTube se adapta às novas tecnologias.

Agência de Gestão de Mídias Sociais

Fique ligado nas novidades das plataformas digitais com a ajuda de uma agência de marketing digital

A indústria de marketing digital está mudando com a introdução de novas tecnologias e regras de uso online. Para ficar por dentro das últimas mudanças no setor, é importante que você fique atento às novidades e tendências que acontecem ao seu redor e que saiba como aproveitá-las.

É por isso que muitas empresas contam com uma agência de marketing digital, como a Agência IMMA; eles oferecem insights inestimáveis sobre o que está acontecendo neste mundo em constante mudança de conteúdo e mídia social.

Veja também