Principais problemas ao fazer a migração de um site

Migrar um site é um empreendimento gigantesco que pode gerar retornos substanciais para qualquer empresa, desde que seja feito de forma eficiente. Porém, como qualquer grande mudança, ao realizar a migração de um site, podem acabar ocorrendo adversidades. Por isso, é sempre bom conhecer os principais problemas ao migrar um site.

O termo “migração de site” é amplamente usado por profissionais de SEO para descrever alterações nas áreas de um site que podem afetar significativamente sua visibilidade nos mecanismos de busca, tais como localização, plataforma, estrutura, conteúdo, design ou experiência do usuário.

Principais problemas ao fazer a migração de um site

Fonte: Freepik

No entanto, apesar da migração de um site ser feita para melhorar seu ranqueamento, ela pode ter impactos negativos consideráveis no engajamento recebido. Isso inclui perda de tráfego e receita, com duração de várias semanas ou meses, caso esse trabalho não seja realizado corretamente.

Você pode encontrar várias dificuldades durante a migração de um site. Entretanto, há alguns problemas que podem ser mais perigosos do que os outros. Se você negligenciá-los, é provável que observe vários impactos negativos duradouros.

Conheça os problemas ao fazer a migração de um site

Fonte: Freepik

Confira os principais problemas ao fazer a migração de um site

1. Não realizar uma análise técnica de SEO

Ao se preparar para uma migração de site, é essencial fazer uma análise técnica do seu site atual e identificar possíveis obstáculos que podem ocorrer durante a migração. Isso ajuda a lidar de maneira mais eficiente com essas situações à medida que elas apareçam para que você não seja pego de surpresa e acabe com o trabalho atrasado.

Você também pode preparar um documento detalhado de especificações técnicas de SEO para garantir que os desenvolvedores do projeto estejam cientes de todos os requisitos essenciais. Esse documento deve ser muito bem detalhado e se concentrar nas ações que os desenvolvedores devem executar durante o projeto.

Após a migração, é preciso garantir que o novo site continue a enviar os sinais corretos para os mecanismos de pesquisa, executando pelo menos o mesmo desempenho que o site original. Você deve analisar cuidadosamente todo o site em busca de erros e realizar vários testes antes de colocar as novas páginas no ar.

Saiba quais são os principais problemas ao fazer a migração de um site

Fonte: Freepik

2. Não otimizar a velocidade do site

A migração de um site é um momento perfeito para avaliar determinados aspectos dele que você pode ter ignorado anteriormente. A velocidade do site tornou-se um fator de classificação importante e deve ser avaliada e otimizada durante a migração. Você pode determinar facilmente seu status atual usando o PageSpeed Insights do Google. Ao digitar sua URL, a ferramenta analisará o desempenho do site e fornecerá um feedback valioso.

Primeiro, você verá resultados para seu site para dispositivos móveis e para computadores em duas guias separadas que podem ser alternadas. Em cada guia, haverá uma pontuação para a velocidade e a otimização da página, além do contexto de comparação com outros sites. A ferramenta também vai fornecer sugestões de otimização com instruções de como corrigir cada problema encontrado.

Antes da migração, teste seu site atual e observe as sugestões de otimização. Certifique-se de que esse trabalho de correções esteja no seu plano de migração. Depois de concluído, teste seu novo site e compare os resultados com os do site original. Com sorte, você vai conseguir melhorias significativas se tiver tempo para implementar as alterações no novo site.

Não otimizar a velocidade do site é um erro

Fonte: Freepik

3. Ausência do mapeamento de redirecionamento

A implementação do redirecionamento é uma das etapas mais importantes da migração de um site. A ausência dos URLs do seu site antigo ou o redirecionamento incorreto afeta rapidamente as classificações e a visibilidade do seu site de maneira negativa.

Há uma série de estratégias que podem ajudar ao realizar o mapeamento de redirecionamento, mas o processo deve ser realizado por um profissional de SEO experiente, uma vez que requer extrema atenção aos detalhes.

Esse processo pode ser ainda mais difícil se essa não for a primeira migração do site. Isso porque você precisará atualizar todos os redirecionamentos antigos para evitar a criação de cadeias de redirecionamento. Essencialmente, todos os redirecionamentos devem apontar para o URL canônico ou o URL que você deseja que os mecanismos de pesquisa tratem como autoridade.

Ausência do mapeamento de redirecionamento

Fonte: Freepik

4. Não limpar erros 404

Construir um novo site significa que serão realizadas mudanças. No entanto, quando essas alterações são feitas, elas podem afetar várias páginas e, possivelmente, até mesmo a estrutura do seu site. Isso significa que algumas páginas podem ser movidas ou simplesmente deixam de existir, causando erros 404.

Essa é uma parte normal do processo de migração, mas é preciso limpar os erros 404 para manter a autoridade dos seus links. Isso significa que você precisará configurar um sistema de monitoramento de erro 404 ou verificar o Google Search Console diariamente durante algumas semanas antes da migração para detectar qualquer um desses erros que possam ter passado despercebidos.

Problemas ao migrar de um site: não limpar erros 404

Fonte: Freepik

5. Falha ao avaliar seu robots.txt e o sitemap XML

O sitemap XML fornece informações sobre o conteúdo do seu site para os mecanismos de busca, bem como onde esse conteúdo pode ser encontrado.

Uma parte importante da migração de um site é criar um novo sitemap XML e enviá-lo no Google Search Console. Você precisa garantir que esse novo sitemap esteja atualizado e livre de erros antes de enviar para os mecanismos de pesquisa. Isso também ajudará os URLs que não existiam antes da migração a serem rastreados e indexados mais rapidamente.

Da mesma forma, o robots.txt apresenta as regras que você definiu para os mecanismos de pesquisa que rastreiam seu site. Se você adicionar regras de proibição específicas para páginas administrativas ou outras páginas que não precisem ser indexadas pelos buscadores, você melhora o rastreamento do seu novo site, evitando que os usuários acessem páginas que não são destinadas a eles. Também é importante vincular seu sitemap XML ao arquivo robots.txt.

Por fim, se você ignorar uma avaliação do robots.txt e do sitemap XML, as páginas bloqueadas anteriormente poderão ser indexadas e exibidas para os visitantes do site. Isso não só pode ser encarado como algo negativo pelo público, como também pode afetar seus rankings.

Na migração de um site é preciso atualizar links internos

Fonte: Freepik

6. Falha ao atualizar links internos

Migrar seu conteúdo para um novo site geralmente significa que os URLs serão alterados. Portanto, os links do site precisarão ser atualizados. Se você não atualizar os links internos do site, corre o risco de ocorrerem vários erros internos 404.

Isso pode acontecer mesmo se você tiver concluído o processo de mapeamento de redirecionamentos. Isso porque esse processo pode criar redirecionamentos de links internos desnecessários. Então é importante estar sempre atento e, de preferência, ter o acompanhamento de profissionais que tenham experiência em realizar esse tipo de trabalho.

Se você lembrar de acompanhar esses principais problemas ao fazer a migração de um site, provavelmente concluirá o processo com um site melhor do que começou. Embora essas tarefas adicionem tempo e criem trabalho extra no processo, você será recompensado com uma migração bem-sucedida. Assim, o resultado será um site mais estável e com uma experiência de usuário melhor para seus visitantes.

Quer ajuda para fazer a migração do seu site? Fale com a Agência IMMA, agência especializada em marketing na internet.

Veja também

Rodrigo Darzi

Sobre Rodrigo Darzi

Pai de 2 filhos. Especialista em Marketing Digital. MBA em e-Business pela FGV. Formado em Administração de Empresas pelo IBMEC. Empreteco.